Diário de um missionário: a missão vem do coração para Tayane
28/10/2020 08:51 em SERVIÇO DE ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA

Por Clara Lorena

 

Hoje a Rádio Dom tem a alegria de apresentar Tayane, uma missionária de 24 anos e habitante da cidade de Lorena. Tayane é formada em pedagogia e atualmente é a coordenadora pedagógica da Obra Social São Luiz. Aqui, ela relata um pouco de como é a vida de um missionário e sobre as suas inspirações. Vamos lá?

 

Como surgiu o desejo de ser missionária?

Na verdade, eu acho que ser missionário, é uma coisa que já vem intrínseco dentro da gente, né? E ele só aflorou depois do convite que eu recebi quando tinha 13 anos e aí eu entrei na obra, fiz parte de um grupo de pastoral. Quando teve uma missão na cidade de São José do Barreiro e eu fui convidada, fui a princípio por curiosidade mesmo, mas aí foi uma coisa que foi apaixonante. Aí eu estou nesse caminho missionário até hoje, vai fazer 11 anos já.”

 

Quem foi sua maior referência para esta escolha?

“Então, na época a minha maior referência era a Wanessa, né? Que era coordenadora da Obra e o Irmão Marcelo, que era o salesiano que acompanhava o grupo missionário, o grupo de pastoral. Conforme o tempo foi passando, foram vindo outras referências de salesianos e de pessoas também, de missionários.”

 

O que é mais significativo nesta missão?

“Eu acho que o que é mais significativo é aquilo que a gente recebe. A gente vai com intenção de levar um pouco de Deus, um pouco da palavra, um pouco de carinho e afeto, e a gente acaba recebendo muito mais do que aquilo que a gente tem a oferecer. Então isso é gratificante, são coisas que dinheiro nenhum compra, trabalho nenhum supre, então você voltar da missão dando valor e percebendo o quanto é importante neste trabalho, acho que é o que mais vale nisso tudo.”

 

Como sente sendo missionária?

“Eu acho que quando você é missionário, você se sente diferente, você se sente diferenciado das outras pessoas, porque você começa a entender a sua missão. Então assim, não necessariamente você precisa estar em outra cidade, estar com pessoas que você não conhece para falar de Deus e para fazer a sua missão, mas você percebe também que na sua casa você pode fazer isso, na sua roda de amigos, no seu trabalho. Quando você entende o que é ser missionário, as coisas mudam, você consegue ser uma pessoa melhor.”

 

Como é ser Missionária nesta Pandemia?

“Eu penso que nesse tempo de pandemia, a gente tem duas vertentes, a gente tem a situação de ser mais difícil o acesso às pessoas por causa do isolamento social, mas em contrapartida também a gente tem as redes sociais.  Então assim, mesmo que limitado para as pessoas mais velhas por exemplo, que tem mais dificuldade com as redes sociais e tudo mais, ainda assim dá para a gente fazer, ser missionário, dá para gente fazer uma doação, ajudar, se comunicar principalmente com os jovens. Não é impossível, é um trabalho um pouco mais árduo, mais difícil, mas é gratificante da mesma forma.”

 

Para encerrar, que mensagem deixaria para os jovens que almejam ser missionários?

“Para quem tem desejo, quem sente no coração que tem essa missão, é ouvir mesmo. Ouvir o que o coração falar, o que pede, porque não é para gente, né? A gente faz tudo no nome de alguém muito maior, no nome de Deus. Ele sempre nos deixa livres para assumir ou não a nossa missão, então que a gente possa ser corajoso, quem sente isso no coração possa ter coragem discernimento para saber onde vai ser missionário e buscar força em Deus mesmo para cumprir essa missão linda, da melhor forma possível.”

 

A Rádio Dom se alegra de ver e apresentar pessoas como Tayane, principalmente neste mês missionário. Esperamos também que essas entrevistas possam inspirar o coração de cada leitor.

Fotos enviadas pela missionária

Fotos enviadas pela missionária

Fotos enviadas pela missionária

Fotos enviadas pela missionária

Fotos enviadas pela missionária

Fotos enviadas pela missionária

Fotos enviadas pela missionária

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!