Casa de Dom Bosco - Americana

 

Em setembro de 1992, uma assistente social do Instituto Salesiano Dom Bosco e duas estagiárias de Serviço Social, observaram nos arredores do Colégio Salesiano Dom Bosco várias crianças que ficavam o dia todo na rua mendigando e olhando os carros que ali estacionavam. Deste modo, surgiu a proposta de uma obra social que trabalharia com o processo educacional destas crianças e iniciou-se o atendimento a quatro crianças, por meio de atividades de recreação na sala da assistente social e posteriormente numa residência locada pela instituição, para assim atender trinta e cinco crianças e adolescentes.

Em agosto de 1993, por meio de um contrato com a Congregação Vicentina da Cidade Jardim, iniciaram-se as atividades num novo prédio, localizado no bairro Cidade Jardim, onde eram atendidas 54 crianças e adolescentes e suas respectivas famílias. Entre os anos de 1994 e 2004, aumentou-se o espaço físico da entidade, como também o número de atendimentos realizados, oferecendo oficinas de informática, artesanato, tear, pedagogia e também a construção de uma horta.

Em 05 de agosto de 2005, foi inaugurada a nova sede localizada na Rua dos Colibris, n.º 235, Vila Mathiensen – Americana/SP (atual localização), com capacidade para atender 120 crianças e adolescentes, entre 6 e 16 anos, no contraturno escolar. Em 2012, com a necessidade de adequar o atendimento à Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais (Resolução 109 de 11 de novembro de 2009), passou-se a oferecer Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, para crianças e adolescentes de 06 a 15 anos, atualmente atendendo adolescentes e jovens até 17 anos e 11 meses.

Entre suas atividades realiza acompanhamento, oficinas temáticas e lúdicas com as crianças, adolescentes e suas famílias. Serviço desenvolvido em grupos, organizando a partir de percursos, de modo a garantir aquisições progressivas aos usuários(as), de acordo com o seu ciclo de vida, a fim de complementar o trabalho social com a família e prevenir a ocorrência de situação de risco social.

Além disso utiliza de uma forma de intervenção social planejada que cria situações desafiadoras, estimula e orienta as(os) usuários na construção e reconstrução de suas histórias e vivencias de forma individual e coletiva, tanto na família ou/e território. Organiza-se de modo a ampliar trocas culturais e de vivências desenvolvendo o sentimento de pertença, de identificar e fortalecer vínculos familiares, bem como incentivar a socialização e a convivência comunitária. Fazendo-se necessário haver preventividade e proatividade, pautand-se na defesa e afirmação dos direitos e no desenvolvimento de capacidade e potencialidade, com vista ao alcance de alternatividade emancipatórias para enfrentar as situações de vulnerabilidade social.

A instituição busca prever o desenvolvimento de ações intergeracionais e a heterogeneidade na composição dos grupos por sexo, presença de pessoas com deficiências, etnia, raça e entre outros. Possui articulação com o Serviço de Proteção e Atendimento Integral a Família (PAIF), de modo a promover o atendimento das famílias dos atendidos destes serviços, assim garantido a matricial idade socio familiar da política de assistência social.

Os serviços realizados na  Casa de Dom Bosco tem por foco o desenvolvimento de atividades com crianças, adolescentes, familiares e comunidade, fortalecendo vínculos e prevenindo a ocorrência de situações de exclusão social e de risco, em especial uma “cultura de violência” instaurada que gera várias situações de risco, sendo um serviço complementar e diretamente articulado ao PAIF executado pela equipe de referência do CRAS Mathiensen.

Os colaboradores envolvidos pautam-se no reconhecimento da condição dos usuários e suas capacidades, pelo cumprimento dos direitos das crianças e adolescente numa concepção que faz do brincar, da experiência lúdica e da vivência artística uma forma privilegiada de expressão, interação e proteção social.

A entidade oferta atividades para crianças e adolescentes, assim como a seus familiares, pautada na resolução CNAS nº 109/2009 (Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais). Devido a demanda de atendimento do território temos como foco de atuação crianças e adolescentes da faixa etária de 6 a 17 anos, em que buscamos estimular suas condições intelectuais e físicas, atividades de convivência e fortalecimento de vínculos e socialização, buscando a garantia das seguranças de acolhida e convívio familiar e comunitário, utilizando experiências lúdicas, teatrais, atividades artísticas, físicas e reflexivas. Com acesso a brinquedos e brincadeiras favorecedores do desenvolvimento, da sociabilidade e fortalecedoras do convívio social e familiar. Estimulando ainda a autonomia e protagonismo social.

A Casa busca complementar o trabalho social junto à família, na proteção e desenvolvimento das crianças e adolescentes, prevenindo a ocorrência de situações de risco social e fortalecendo a convivência familiar e comunitária, bem como possibilitar acessos a experiências e manifestações artísticas, culturais, esportivas e de lazer, com vistas ao desenvolvimento de novas sociabilidades.

 

Para contribuir com as ações da Casa de Dom Bosco ou com as demais obras sociais salesianas pelo Brasil sem sair de casa, acesse o Site da União pela Vida (UPV) ou baixe o aplicativo da UPV disponível para Android e iOS.

 

Fonte: Renan Poleto – Coordenador Geral Casa de Dom Bosco

Notícia: Radamés Junior, estudante de jornalismo - Equipe de Comunicação Rádio Dom. 

Esta Campanha é uma iniciativa da Inspetoria Salesiana de São Paulo por meio da Rádio Dom em parceria com a Rede Salesiana Brasil de Ação Social e AHAL Designer.